sábado, 2 de abril de 2011

Sonho Eterno, Mas Já Não Teu


Sparrow, by Rock My Life

Sonhaste que eras pardal
Que vagueava solto no cantar perdido,
Calcorreando os céus d’ouro do olhar.

E, de súbito, vês-te cair.
Em rodopio vertiginoso varres o horizonte,
De modo vertical.

Feneces no suspiro dos que pisam,
Dos que pisoteiam sem sapateado sincrónico
A calçada morta.

Soltas um último pio mas não acordas.
E o sonho continua eterno,
Mas já não teu.

3 comentários:

Klatuu o embuçado disse...

Mesmo bonito. Mete n'O Bar, e a imagem também, que é muito fixe.

Blood Tears disse...

Sonho cantado,
Suspiro eterno,
mas já não teu.....


Lindo!

Blood Kisses

Leto of the Crows disse...

Ainda bem que gostaste ^^

Abraços!