quinta-feira, 29 de maio de 2008

Amor Desamado


Silêncio ressentido, olhar cruel,

Foi esse teu que lançaste.

Cego ódio rancoroso,

Dardo de fel belicoso

De rumo ao profundo olvidado,

Na negritude dos anais.

E singras em veneno vasculado

De letífica vontade fatal.

Embustes são os teus

De vacuoso amor sentido,

Esse que não sentes

E em que só vês o Mal.

8 comentários:

Pedro Jorge disse...

votos para o amor, graças ao amor desamado

fez-me lembrar um elástico, a esticar em dois sentidos opostos.

''bem bom este poema''

Laepo disse...

Está lindo dona leto ^^

(e fizeste-me usar o dicionário, nunca tinha lido a palavra letífica Oo)

e a imagem é linda!

Francisco Norega disse...

Ermmm... Confesso que gostei mais do outro =P Mas este não está mau ;-) Continua :)

(consegui não usar pontos finais xD As frases foram todas corridas a smiles lol)

Kath disse...

(Queres fazer uma espécie de concorrência ao Saramago, chefinho? xD)

Gosto desta vileza toda. E siga com o Retrato. ^^

Francisco Norega disse...

É xD Quero começar-me a preparar para o Nobel lol


(vês, sem pontos =P)

Leto of the Crows disse...

loool

Vá, não faça isso senhor Eragon! Eu gosto de pontos finais, e pontos finais seguidos (reticências lol)

Mas a quem gostou, agradeço que tenha gostado e a quem não tenha gostado... enfim... lamento... (reticências bonitas xD)

Francisco Norega disse...

lol.

Eu gostei, não gostei foi tanto como gostei do outro. =P

(pronto, já lá estão dois pontos finais. Três, agora xD)

Kath disse...

O Saramago usa pontos finais, isso de não usar é um mito. Ele usa é muitas vírgulas, fases compridas. =p