sexta-feira, 9 de abril de 2010

A Voz dos Murmúrios


Reading in the Night, by Yoeah

Vorazmente, o silêncio consome-se,
Na noite que chove estrelas e luar.
E, no consumo que o ataca, é extinto,
Por si só faminto,
Na morte que é o ego de se amar.

E, assim, erguem armas os murmúrios
Que se fazem, pelo atento, ouvir.
Governam os sussurros dos espíritos,
Os monólogos dos antigos mitos,
Que, eternos, são o cerne do florir.

O renascer do que um dia, olvidado,
Caiu no silêncio do gritar.
Que os lírios cantam de tom e tempo breve,
Sua sinfonia de sonho leve,
A voz do vento, da terra e do mar…

2 comentários:

Kath disse...

Gosto principalmente da última estrofe. ^^

Leto of the Crows disse...

Eu também! Apesar de me fazer lembrar a Lili xD