segunda-feira, 30 de agosto de 2010

A Mais Simples Flor




Perscruto o mar da incerteza
No canteiro a níveo florido.
Que não carece da ebúrnea beleza,
A mais simples flor do jardim.
Traja-se dela a sua própria pele,
De veludo e seda contrastante, assim
Lembrando a amizade mais pura,
A que é nua de preconceitos,
Tricotada de perfume e candura,
Desabrochada em orvalho e condão
De fada, a varinha minha,
Que lhe tocou o coração.

(Pertencente à nova dedicatória do Retrato)

2 comentários:

Corina de Oliveira disse...

Adorei o teu blog :) a tua forma de escrever e até a fotografia (uma área que realmente me diz muito)... Parabéns!

Se quiseres passa pelo meu espaço:

http://o-meu-reino-da-noite.blogspot.com/

Diz o que pensas ;)

Corina de Oliveira disse...

Adorei o teu blog :) a tua forma de escrever e até a fotografia (uma área que realmente me diz muito)... Parabéns!

Se quiseres passa pelo meu espaço:

O meu reino da noite

Diz o que pensas ;)