terça-feira, 7 de setembro de 2010

Sonho Envenenado

Sonha um novo sonho
Ao embalo que te canta a noite.
Sonha que sonhaste o voo
Sob o luar vítreo da madrugada.
Que de sonhos se constrói o mundo
E o castelo das tuas cartas.
Sopra o vento e o castelo decai.
Sopra o vento, que a vida se esvai.
Que um sonho só é sonho
Quando o desejo é semente plantada.
Mas o sonho morre se de veneno
For o rebento da orvalhada.

2 comentários:

Afonso Costa disse...

«Que um sonho só é sonho
Quando o desejo é semente plantada.»

Adoro, e concordo com a mensagem transmitida pelo poema :)

Leto of the Crows disse...

Muito obrigada ^^