sábado, 19 de dezembro de 2009

O Canto da Sereia

O suave canto do rouxinol
É somente um esgar retorcido
A par do tom que exaltas.
Exímia a melodia que é contigo,
Tua vida e teu querer,
Teu poder de ser,
Tua mania, tua vontade.
Sinfonia leda que me embala
E resguarda das teias da verdade.
Que adormeço no teu cantar,
Adormeço e avanço tão cego,
Que me cegas da alma o pensar.

(Pertencente ao capítulo IX do Prín.)

9 comentários:

Kath disse...

E tens de me mandar Prin!

Leto of the Crows disse...

Está bem, vai já a sair xD

croagfilliu disse...

Prin!?

Cheira-me a um belo livro.
Gosto bastante dos excertos...

Continua a boa escrita :)

Leto of the Crows disse...

Prín é um diminutivo. Dizer "O Príncipe do Mar do Interior" dá muito trabalho xD

Mas obrigada ^^

Lord of Erewhon disse...

Muito bonito. Mesmo.
Deixa em rascunho n'O Bar.

Beijinho.

Leto of the Crows disse...

Mais oui, monsieur! ^^

Joli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Brid disse...

Pk é que nunca me apresentaste esse Prin, hm? --'

By the way... adorei :) Gosto de sereias, eheh

(enganei-me no login do anterior :P)

Leto of the Crows disse...

Ora, eu sabia que eras tu xD

Nunca te apresentei o Prín porque primeiro é necessário conhecer o Retrato :p eles estão intimamente ligados numa estreita ligação amorosa xD