sábado, 15 de janeiro de 2011

Cântico do Mar


The Mermaid, by Howard Pyle (1910)

Cessou a sinfonia.
Quem ceifou à sereia a vida,
O cântico daquele dia
À beira-mar?

Foi barco que aportou,
De pés pesados e alma una.
Que quem aqui voltou
Não mais irá retornar.

Que foi da alma colhida
O cerne da paixão,
O cerne de uma vida,
A brisa do meu amar.

Vai longe o desejo.
Do querer ser o que era
Quedou-se somente almejo
E a questão do sonhar.

Que é a musa perdida.
Mas serão minhas as palavras,
Que num adeus de despedida
Afastarão de nós o Mar?

(Parte integrante de um conto intitulado "O Cais do Poeta")

2 comentários:

Afonso Costa disse...

Adoro! Ainda por cima é sobre o mar *.*

Leto of the Crows disse...

Obrigada, Afonso ^^