terça-feira, 10 de novembro de 2009

Suserana da Noite


Dancers in the Dusk, by Puimun

No entardecer que o céu ilustra
A laranja e carmesim,
Diviso um final firme no horizonte
Onde se encerra o mistério pardo.

Que quando for rei o crepúsculo
No seu mísero reino de tempo nenhum,
Abrirá os sete cadeados fechados
E libertará o escondido no além.

Além, muito para além, aguarda a noite.
Trajada em veludo de escuridão,
Marchetada de jóias em ouro e prata.
Que se erguerá a suserana.

Liberta por fim e viva, que é bela,
A donzela do luar formoso,
É fogo ebúrneo que se acende,
Para os amantes do profundo,

Que a sua cantiga é solidão,
Mas alegre solidão de melancolia.
Um sonho áureo de tempos antigos,
Que foi ontem real, ontem, tão distante.

Hoje é lenda e amanhã será mito,
O da senhora suserana de além um dia.

Para a Fifi ^^

9 comentários:

HornedWolf disse...

Leto, acho que nunca te perguntei se és amante de Shakespeare. És?

Brid disse...

Letozinha, obrigado ^^ Adorei, a sério *.*

Beijinhoos*****

P.s. Também acho que és amante do Skakespeare... Desde inicio que acho qq coisa de estranho em ti... LOOL xDD

Kath disse...

Ah, Lua! Viva ela. ^^

Ceunnviento disse...

Leto, adorei o teu poema=)

Leto of the Crows disse...

Obrigada ^^

Lord of Erewhon disse...

Bonito.
Deixa em rascunho n'O Bar... ;)

Beijinhos.

Leto of the Crows disse...

Como desejar, senhor ^^

Beijinhos

Luanny Torquato disse...

Ohh, adoro :D

Leto of the Crows disse...

Obrigada ^^

Beijinhos!