quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Vitória (Sobre o Tempo)


Derradeiro o teu canto soou alto

E rompeu véus cegos que te cobriam.

E gritaste. Fúria tua a do tempo,

Tanto aquele que passou.

Passou e esvoaçou.

Céu vivo que o engoliu.

E riu-se, gritando glória,

No devir da liberdade leda do esvair.

Glória a nossa, a da vitória.

1 comentário:

Gabrielis disse...

Quem me dera também eu puder alcançar a vitoria sobre o tempo. Sendo que cada dia é mais difícil, pois ele extingue-se e deixa de existir. E como posso eu vencer algo que se desvanecesse?