terça-feira, 5 de maio de 2009

Defunto El-Rei

Nasci num dia cor de escuro,
Pintado a rebordos dourados,
De um rei defunto.
Nasci e vi nascer o dia
Tão longo de profundo.

E mal o vi chorei
Pelo mundo antevisto,
Que era defunto o rei.
Chorei de dor viva
E no choro a vida findei.

Que mal nasci, morri,
Nesse pranto que me amamentou
De recordações que não vivi.
Eram belas, já não são,
Aquelas que vi. E morri,

Por defunto El-Rei.

3 comentários:

Joli disse...

Bonito ^^

Kath disse...

As tuas rimas são sempre perfeitas.

Gothicum disse...

"A vida é ou uma aventura audaciosa, ou não é nada. A segurança é geralmente uma superstição. Ela não existe na natureza."
(Helen Keller)


...quantos defuntos de Reis e Rainhas não caminham ao nosso lado durante a vida Leto?

Muito bom. Abraços